Publicidade

Arquivo da Categoria Eleições 2010

sábado, 10 de julho de 2010 Direito eleitoral, Eleições 2010 | 12:10

Exército pode ser acionado para eleições em estados com enchente

Compartilhe: Twitter

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) visitou nessa sexta-feira (9/7) o cartório eleitoral da cidade pernambucana de Palmares, uma das mais atingidas pela enchente que assolou a região nordeste do País recentemente. O ministro Ricardo Lewandowski disse que se deparou “com uma situação calamitosa”. “O TSE vai enviar todos os esforços possíveis para minorar o sofrimento da população para que tenhamos uma eleição dentro da normalidade”, comentou.

Além do cartório eleitoral, escolas que serviam como local de votação e casas de moradores foram totalmente destruídas. Numa reunião com o comandante da 7ª Região Militar, general Ananias, Lewandowski afirmou que, se necessário, poderá requisitar o apoio do Exército para a montagem de barracas militares que servirão como locais de votação.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambucano (TRE-PE), desembargador Roberto Lins, acompanhou Lewandowski na visita e disse que já determinou a reimpressão dos títulos eleitorais de todos os 45 mil eleitores do município bem como dos títulos de eleitores de outras regiões atingidas. Serão reimpressos 200 mil títulos.

Leia mais:
Justiça pune ministro por propaganda pró Dilma
Chuva suspende prazos processuais em Pernambuco

Autor: Tags: , , ,

Eleições 2010 | 10:55

Empresa de tecnologia se livra de multa por propaganda antecipada

Compartilhe: Twitter

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, decidiu na noite desta sexta-feira (9/7) julgou improcedente representação ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) contra a DDM Desenvolvimento de Software S/A Ltda. A empresa foi denunciada por suposta propaganda antecipada na internet em favor do candidato tucano à presidência, José Serra e contrária à presidenciável petista Dilma Rousseff.

Segundo informações do TSE, o ministro Henrique Neves decidiu que a DDM não era parte legítima para integrar a ação, bem como entendeu que o texto veiculado em nada caracterizava propaganda eleitoral.

“No que tange à suposta propaganda negativa, não a tenho como caracterizada, os trechos transcritos na inicial não atribuem qualquer adjetivo que denigra a imagem da candidata Dilma Rousseff. Seu nome não é citado, senão na última mensagem, quando simplesmente se diz que ela não se manifestou sobre a existência de falhas do SUS”, diz o ministro Henrique Neves.

Em relação à suposta propaganda antecipada em favor de José Serra, o ministro afirma que dois trechos mencionados pelo MPE tratam de notícias de opiniões de José Serra, respectivamente, em palestra no Fórum Exame e sobre a Presidência da Sudene. As duas citações restantes foram entendidas pelo ministro como manifestações de pensamentos de pessoas naturais, plenamente identificadas.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 9 de julho de 2010 Eleições 2010 | 22:51

MPE pede outra multa contra Dilma por propaganda antecipada

Compartilhe: Twitter

A candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência, Dilma Rousseff, pode receber mais uma multa por propaganda eleitoral antecipada. Esse é o pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE), que entrou na Justiça nesta sexta-feira (9/7) com mais uma representação contra a petista.

Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o objeto da denúncia foi uma entrevista concedida pela candidata, em 7 de abril, ao programa “Rádio Vivo”, da rádio Itatiaia, de Belo Horizonte (MG).

Na última quinta-feira (8), Dilma e o ministro da Saúde José Gomes Temporão foram multados em R$ 5 mil cada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pela prática de propaganda eleitoral antecipada.

Para o MPE, durante a entrevista, Dilma Rousseff fez menção expressa às eleições deste ano, com exposição de sua candidatura e da plataforma de governo, além de comparações negativas entre o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do qual fez parte o candidato adversário de Dilma, José Serra.

Além disso, a petista teria feito críticas diretas à gestão do adversário tucano quando de suas passagens pelos ministérios do Planejamento e da Saúde.

Pelas irregularidades, o Ministério Público Eleitoral pediu a fixação da pena máxima prevista no artigo 36 da Lei das Eleições (Lei 9504/97): multa de R$ 25 mil.

Leia mais:
Procuradora pede multa a Dilma e Benedita por propaganda antecipada

Autor: Tags: , , ,

Eleições 2010 | 20:15

TSE multa ministro por propaganda pró Dilma

Compartilhe: Twitter

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, aplicou nesta sexta-feira (9/7) uma multa de R$ 5 mil ao ministro da Cultura, Juca Ferreira, pela publicação no portal do Ministério da Cultura de uma entrevista do então secretário da Cidadania Cultural, Célio Turino, concedida ao “Blog da Dilma”.

O ministro do TSE entendeu que a responsabilidade pelo conteúdo do portal do Ministério da Cultura é, concluindo que o secretário de Cidadania Cultural não tinha, entre suas atribuições legais, a responsabilidade de decidir ou supervisionar o conteúdo das informações veiculadas pelo site do ministério.

Assim, concluiu o ministro, o fato que gerou a atuação do Ministério Público Eleitoral “não foi simplesmente a concessão da entrevista, o que é permitido a qualquer cidadão, ocupante de cargo público ou não. O que a inicial impugna essencialmente é a divulgação de propaganda eleitoral extemporânea pelo sítio do Ministério da Cultura”.

Leia mais:
Dilma e ministro da Saúde são multados por propaganda antecipada
TCU aplicou R$ 1,23 bilhão de multas em 2009

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 8 de julho de 2010 Eleições 2010 | 23:49

Dilma e ministro da Saúde são multados por propaganda antecipada

Compartilhe: Twitter

Candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, em caminhada pelo centro de São Paulo, nesta quarta (07) (Foto: Agência Estado)

A candidata do PT à presidência, Dilma Rousseff e o ministro da Saúde José Gomes Temporão foram multados em R$ 5 mil cada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pela prática de propaganda eleitoral antecipada. Ladeados pelo presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro Sayed Picciani – que também é atingido pela decisão.

O trio proferiu discursos durante a inauguração do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti (RJ), no dia 7 de março desse ano.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Joelson Dias, acolheu a tese do Ministério Público Eleitoral (MPE) de que teria havido desvirtuamento da inauguração com o comparecimento de diversas autoridades da então pré-candidata em inauguração de obra que não teria contado com recursos federais.

Além disso, todos os discursos feitos durante o evento foram no sentido de que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva teria feito muito pela localidade, sobretudo na área da saúde, e que a pré-candidata do PT seria a melhor opção para a continuidade da atual administração federal.

Leia mais:
TSE rejeita pedido de multa contra José Serra
Eleitor que se incomodar com email deve denunciar
Presidente do TSE admite afrouxamento de Ficha Limpa

Autor: Tags: , ,

Eleições 2010 | 22:22

TSE nega pedido de multa contra Serra por propaganda no metrô de SP

Compartilhe: Twitter

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Joelson Dias rejeitou nesta quinta-feira (8/7) um novo pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE) para multar o candidato a presidente da República, José Serra, por conta de uma suposta propaganda irregular realizada num cartaz fixado na Estação Sacomã do metrô de São Paulo.

O MPE pediu a multa ao candidato e à Companhia de Trens Metropolitanos de São Paulo (Metrô) argumentando que o cartaz, fixado desde janeiro deste ano, configuraria promoção pessoal de Serra e divulgaria mensagem capaz de “ferir a isonomia entre os candidatos à Presidência”.

Na decisão, o ministro Joelson Dias assinala que o cartaz impugnado não pode ser considerado como propaganda eleitoral pois sequer cita o nome de Serra uma vez que, para configurar a irregularidade, seria necessário que o material deixasse explícita a ação política que pretendia desenvolver. O ministro acrescentou, seguindo a jurisprudência do TSE, que não se considera propaganda eleitoral, mas ato de mera promoção pessoal, a veiculação de mensagem, mesmo em outdoor, desde que não mencionadas circunstâncias eleitorais.

Nova denúncia

O TSE acolheu na mesma data uma nova representação do MPE contra o deputado federal Carlos Orleans Brandão Júnior (PSDB-MA) e o presidenciável tucano.

Na denúncia consta que o parlamentar concedeu entrevista à Rádio Educadora do Maranhão Rural, no dia 30 de abril passado, fazendo clara promoção do candidato José Serra. A Lei das Eleições estipula que o prazo de propaganda eleitoral tem início a partir de 6 de julho. A ministra Nancy Andrighi é a relatora do caso.

Leia mais:
TSE rejeita pedido de multa contra José Serra
Dilma e ministro da Saúde são multados por propaganda antecipada
Eleitor que se incomodar com email deve denunciar
Presidente do TSE admite afrouxamento de Ficha Limpa

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 7 de julho de 2010 Eleições 2010, Sem categoria | 07:00

Ministro do STF reclama da falta de qualidade da classe política

Compartilhe: Twitter

Após derrubar a propositura de uma nova ação de político contra a Lei Ficha Limpa, o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Britto, que presidente a Corte suprema no período de recesso, criticou a política no País. “A falta de qualidade na vida politica brasileira é um dos nossos defeitos estruturais”, comentou Britto durante evento em Brasília na noite desta terça-feira (6/7).

Em contrapartida, Ayres Britto fez generosos elogios à atuação dos juízes eleitorais e do Ministério Público Eleitoral.

“Eles trabalham muito comprometidos com o que a Constituição Federal chama de legitimidade e regularidade do processo eleitoral. É uma convergências de esforços. É um pontapé á causa eleitoral que não pode deixar de ser pautada nesses valores”, disse o ministro, que elogiou o colega Ricardo Lewandowski, também integrante do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Horas antes, o ministro Ayres Britto havia rejeitado o pedido de reconsideração apresentado pela defesa do deputado federal José Gerardo Oliveira de Arruda Filho (PMDB-CE), condenado por crime de responsabilidade pelo STF, no dia 13 de maio. O deputado pretende concorrer à reeleição em 2010.
Leia mais:
Presidente do TSE admite afrouxamento do Ficha Limpa
OAB enviará lista com afastados da advocacia aos TREs do País

Autor: Tags: , , ,

Direito eleitoral, Eleições 2010 | 01:02

TSE rejeita pedido de multa contra José Serra

Compartilhe: Twitter

O ministro auxiliar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Joelson Dias, rejeitou na noite desta terça-feira (6/7) pleito do Ministério Público Eleitoral (MPE) para aplicar multa ao pré-candidato José Serra e ao deputado estadual Orlando Morando por suposta propaganda eleitoral antecipada. A denúncia apontava que os acusados exibiram outdoors contendo imagens de ambos e votos de felicitações pela entrega do trecho-sul do Rodoanel.

O ministro destacou em sua decisão que “o TSE já afirmou ser ‘lícito ao administrador público, desde que antes dos três meses anteriores ao pleito, inaugurar obras e relatar os feitos de sua administração, sem que isto configure propaganda eleitoral antecipad'”.

Acrescentou que “a publicidade de obra concretizada durante o mandato do então do então Governador, e, desta forma mencionada, sem associação ao cargo postulado, não me parece possa ser havida como propaganda eleitoral antecipada em benefício do primeiro representado, com condão de influir na vontade do eleitor”.

Na mesma data, o ministro auxiliar condenou o presidenciável tucano e o PSDB da Bahia ao pagamento de multa de R$ 7 mil pela prática de propaganda antecipada durante ato naquele estado.

Leia mais:
Ayres Britto derruba nova ação contra lei Ficha Limpa

Autor: Tags: ,

Eleições 2010, Ficha Limpa | 00:25

Presidente do TSE admite afrouxamento da Ficha Limpa

Compartilhe: Twitter

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski afirmou que, apesar da disposição em aplicar a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/2009), em casos pontuais, a mesma poderá ser contestada nos tribunais e, por meio de liminares, assegurar a participação de políticos já condenados por órgão colegiado – mais de um juiz nas eleições de outubro.

“Em regra geral, essa lei será aplicada com muito rigor pela Justiça Eleitoral, porque representa um avanço no sentido da moralização dos costumes políticos”, disse.

Lewandowski também se disse tranquilo quanto ao processo eleitoral lembrando que testes foram realizados recentemente em Curitiba e as urnas eletrônicas processaram os dados com sucesso. Ele convocou o eleitor a aplicar a ficha limpa na hora do voto.

“Estamos esperando eleições tranquilas, de alto nível, em que prevaleça a discussão de ideias, programas, projetos. O eleitor deverá escolher aqueles que tenham os melhores antecedentes, que estejam mais comprometidos com o bem comum e com o interesse público”, salientou.

Leia mais:
Ayres Britto derruba nova ação contra Ficha Limpa
Ministro do STF reclama da falta de qualidade da classe política
OAB enviará lista com afastados da advocacia aos TREs do País

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 6 de julho de 2010 Eleições 2010, Ficha Limpa | 21:39

Ayres Britto derruba nova ação contra Ficha Limpa

Compartilhe: Twitter

O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Britto, rejeitou nesta terça-feira (6/7) o pedido de reconsideração apresentado pela defesa do deputado federal José Gerardo Oliveira de Arruda Filho (PMDB-CE), condenado por crime de responsabilidade pelo STF, no dia 13 de maio. O deputado pretende concorrer à reeleição em 2010.

A defesa do deputado, que pediu a imediata suspensão dos efeitos da condenação, alegava que a falta de publicação oficial do acórdão teria provocado a prescrição do crime e, por consequência, a extinção da punibilidade, já que transcorreram mais de oito anos da data do recebimento da denúncia (23 de maio de 2002).

Em sua decisão, Ayres Britto sustentou que a defesa do parlamentar confundiu institutos jurídicos totalmente diferentes.

José Gerardo Arruda Filho foi julgado pelo STF por ter prerrogativa de foro na Corte em decorrência do atual exercício do cargo de deputado federal. Ele foi condenado com base no inciso IV do artigo 1º do Decreto-lei 201/67, que define como crime de responsabilidade empregar subvenções, auxílios, empréstimos ou recursos de qualquer natureza em desacordo com os planos ou programas a que se destinam, quando era prefeito de Caucaia (CE).

Leia mais:
Ministro do STF reclama da falta de qualidade da classe política

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última