Publicidade

Arquivo da Categoria Direito previdenciário

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 Direito previdenciário | 16:06

Gramado sediará evento sobre Direito Previdenciário

Compartilhe: Twitter

A cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, sediará, nos dias 29 e 30 de abril, o XIX Simpósio Brasileiro de Direito Previdenciário. Promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), o evento terá como base de discussão temas teóricos e práticos que fazem parte do cotidiano de quem atua na área.

O público esperado é de advogados, defensores, procuradores, juízes e interessados na área. Serão temas de discussões “O papel dos Tribunais Regionais Federais nas demandas de competência delegada”, “o segurado especial e a segurança alimentar e o papel das medidas cautelares em matéria previdenciária na verba alimentar”, entre outros.

Associados do IBDP e graduandos têm 50% de desconto nas inscrições. Mais informações no site http://www.ibdp.org.br/eventos2.asp?id=144

Autor: Tags:

quinta-feira, 8 de novembro de 2012 Direito previdenciário | 12:26

Prescrição de aposentadoria vale para pagamentos anteriores a cinco anos da ação

Compartilhe: Twitter

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) divulgou nesta semana uma decisão em que afirma que a prescrição de complementação de aposentadoria atinge pagamentos anteriores a cinco anos da ação.

Ou seja, o prazo para cobrança de valores de complementação de aposentadoria é de cinco anos, mas a prescrição atinge somente as parcelas anteriores a cinco anos do ajuizamento da demanda na Justiça.

O entendimento do tribunal se deu quando os ministros analisavam recurso do Banco Santander Banespa S/A, que havia sido condenado a complementar os valores de previdência privada, relativamente aos reajustes salariais dados a seus empregados ativos. No STJ, a instituição alegava a prescrição do direito, cujo prazo seria de cinco anos.

Para a especialista em direito previdenciário Ana Paula Oriola de Raeffray, sócia do Raeffray Brugioni Advogados, era necessária uma definição sobre a matéria, “tendo em vista que haviam muitas decisões divergentes”. Mas a especialista pondera que a decisão não se reflete na Justiça trabalhista.

“Esta decisão do STJ certamente não operará efeitos perante a Justiça do Trabalho, local em que tramitam diversas ações cujo objeto e complementação de aposentadoria, havendo nesta esfera de competência, também, diversidade de entendimentos”, avalia.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 4 de outubro de 2012 Direito previdenciário | 23:11

Centro de Estudos em Direito Previdenciário tem novo coordenador

Compartilhe: Twitter

O advogado Theodoro Vicente Agostinho, do Simões Caseiro Advogados, é o novo coordenador do Centro de Estudos em Direito Previdenciário do Instituto Brasileiro de Educação em Gestão Pública de São Paulo (IBEGESP).

Mestre em Direito Previdenciário pela PUC de SP, Theodoro é membro da Comissão de Seguridade Social da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP).

Autor: Tags:

sexta-feira, 25 de março de 2011 Direito previdenciário | 05:00

Justiça proíbe União de cobrar aposentados por INSS pago em dobro

Compartilhe: Twitter

Mais de 79 mil aposentados podem estar livres da obrigação de devolver benefício do INSS pago a maior pelo Instituto Nacional do Seguro Social. Uma decisão proferida no último dia 15 em uma ação civil pública, e que iG teve acesso, deu uma reviravolta no caso que, antes, era favorável ao governo.

Isso porque o INSS percebeu que estava pagando dobrado para cada beneficiário e pretendia descontar os valores pagos a maior da própria folha de pagamento do segurado. Uma decisão em primeira instância os obrigaria a devolverem o dinheiro extra em descontos que atingiriam até o montante de até 30% do benefício.

No entanto, no entendimento do desembargador Hermes Siedler da Conceição Júnior, relator do caso na Justiça Federal do Rio Grande do Sul, o INSS não pode cobrar nem descontar os valores dos aposentados já que “sempre que verificada a boa-fé do beneficiário”.

“Concedo parcialmente a antecipação da tutela recursal, para que o INSS abstenha-se de efetivar qualquer cobrança administrativa ou judicial referente a valores supostamente recebidos a maior por segurados ou pensionistas em face de benefícios atingidos pela revisão objeto da presente ação até o julgamento final da demanda”, assinalou o magistrado.

Com essa decisão, toda e qualquer cobrança contra os 79.746 aposentados –que se enquadram neste caso–por parte do governo está proibida.

O INSS chegou a enviar cartas para informar os segurados sobre o caso. Ao receber a notificação, o aposentado teria dez dias para entrar em contato com uma agência do Instituto e contestar a decisão. Caso contrário, só ingressando na Justiça para contestar o exigido pelo INSS.

“Os segurados foram convocados a devolver o dinheiro em razão de um erro de cálculo cometido pelo INSS na concessão dos benefícios previdenciários por incapacidade. A medida encontra embasamento legal nas leis 8.213/91 e 10.666/2003.

No entanto, os casos deverão ser analisados individualmente e o prazo concedido, de dez dias, não são suficientes, até porque cabe ao INSS demonstrar onde está o erro ao segurado”, explicou Theodoro Vicente Agostinho, sócio do Raeffray, Brugioni & Alcântara Agostinho, que atua no setor previdenciário.

O que a defensoria pública contestou em prol dos aposentados é que, muito embora eles tenham sido notificados para apresentar sua defesa administrativa, não foram encaminhadas as informações demonstrando o equívoco apontado no benefício de cada segurado ou pensionista.

O problema se deu em função de uma falha do sistema do INSS que concedia aos beneficiados, todo mês, um salário a mais do que o valor que eles tinham direito. Ao todo, foram quase cinco anos de valores pagos equivocadamente, mas o problema só foi descoberto cerca de três anos atrás.

“O Superior Tribunal de Justiça (STJ) já entendeu que em outras situações o benefício concedido pelo INSS é verba alimentar. Portanto, não há o que se falar em devolução”, afirma Júlio César de Oliveira, do escritório Fernandes Vieira Advogados e membro da Comissão de Seguridade Social da OAB/SP.

“O governo pode até dizer que, em se tratando de verba de orçamento público, não poderia ter esse prejuízo sob pena de afetar mais pessoas. Mas defendemos que, visto o erro, se ajusta, mas não se pune o segurado descontando valores já pagos”, completou Viviane Masotti, sócia do Masotti Assessoria e Planejamento previdenciário.

Da decisão, cabe recurso. No entanto, se trata de uma importante vitória para a tese defendida por aqueles que representam os aposentados e pensionistas.

Leia também:
Justiça concede direito à revisão para aposentados de 1998 a 2003

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 24 de março de 2011 Direito previdenciário | 05:03

Instituto lança curso sobre aposentadoria em SP

Compartilhe: Twitter

O Instituto Brasileiro de Estudos Previdenciários (Ibep) promoverá, no proximo dia 2 de abril, em São Paulo, o “Curso de aposentadoria especial –aspectos práticos”, destinado a estudantes de direito, advogados e para quem quer entender mais sobre o tema.

Entre os temas abordados, o curso falará sobre a contagem do tempo de serviço, as datas limites de enquadramento, entre outros temas, além de contar com casos práticos. A advogada Adriana Bramante, especialista na área previdenciária há 20 anos, será a palestrante.

O curso acontece das 8h30 às 18h, no Hotel Pergamon, na rua Frei Caneca, 80, em São Paulo. Inscrições pelo telefone (11) 7743-5729.

Leia também:
“Poder público não pode se colocar como o grande sabe tudo”, diz presidente da OAB
Livro ensina empresas a se defenderem do INSS

Autor: Tags: ,

sábado, 19 de março de 2011 Direito previdenciário | 21:14

"Poder público não pode se colocar como o grande sabe tudo", diz presidente da OAB

Compartilhe: Twitter

Ophir Cavalcante esteve no XV Simpósio Brasileiro de Direito Previdenciário, em SP (Foto: Edi Souza)

O poder público não pode se colocar como o grande sabe tudo no que se refere aos direitos previdenciários. É preciso ser mais humilde”. A afirmação é do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, na abertura do XV Simpósio Brasileiro de Direito Previdenciário, realizado no último dia 18, em São Paulo.

“A situação previdenciária no País melhorou, se harmonizou, mas ainda está longe do ideal. As pessoas continuam sofrendo com a falta de dignidade. O sistema de perícia, por exemplo, precisa se reestruturar. A previdência precisa encontrar um equilibrio, um processo que só terá sucesso com a participação da sociedade”, comentou Cavalcante.

O presidente nacional da OAB, em sua palestra, abordou o tema “Defesa das prerrogativas do advogado no Direito Previdenciário”.

“Somos testemunhas vivas do tratamento que nossos clientes recebem da previdência. Recorro a alguns exemplos, inclusive no meu Estado de origem, o Pará, onde a situação beira o colapso, com os postos de atendimento inchados e os segurados, atônitos, sem ter como recorrer. Mesmo procedimentos simples, como a concessão de auxílio-doença, lançam milhares de trabalhadores numa situação de desespero. Em muitos casos, a espera por uma simples consulta agendada chega a 30 dias”, disse.

Leia também:
INSS move ação de R$ 80 mi contra consórcio Via Amarela
Livro ensina empresas a se defenderem do INSS
Instituto quer isenção de custas em ações previdenciárias

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 Direito previdenciário | 16:34

Justiça do Maranhão nega pedido do INSS contra empresa

Compartilhe: Twitter

A 5ª Vara da Justiça Federal de 1º Grau do Maranhão negou o pedido do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) numa ação contra a empresa Fertipar – Fertilizantes do Maranhão LTDA. O órgão acusava a empresa por negligência na morte de um funcionário.

A exemplo das ações regressivas, quando o INSS busca recuperar das empresas os valores gastos com acidentes de trabalho, o órgão requereu da Fertipar o mesmo ressarcimento. Desta vez, sem sucesso.

Defendida pelo advogado Ulisses César Martins de Sousa, do escritório Ulisses Sousa Advogados Associados, a Fertipar se livrou da acusação e, portanto, não terá de ressarcir ao INSS de todos os gastos efetuados com o benefício acidentário concedido em favor da dependente do trabalhador falecido, conforme o INSS pediu na ação.

“A sentença do juiz federal José Carlos do Vale Madeira acolheu minha tese de defesa na qual foi sustentado que a responsabilidade do INSS por acidente de trabalho é objetiva, já que decorre do seguro de acidente de trabalho feito pelo empregador em benefício do empregado”, argumentou Sousa.

Leia também:
Livro ensina empresas a se defenderem do INSS

Autor: Tags: ,

Advocacia, Direito previdenciário | 09:08

Livro ensina empresas a se defenderem do INSS

Compartilhe: Twitter

O advogado Júlio Cesar de Oliveira, especialista em direito previdênciário, lançou o livro “Ações Regressivas – Proposta pelo Instituto Nacional do Seguro Social face às Empresas”, pela editora Conceito.

O objetivo do livro, segundo o advogado, é proporcionar um estudo aprofundado da matéria para empresas que podem, eventualmente, sofrer uma demanda judicial do INSS.

Só para entender melhor, a ação regressiva é um instrumento que pode trazer de volta aos cofres públicos às verbas que foram despendidas por culpa das empresas, que não cumpriram as normas relacionadas à segurança no ambiente de trabalho.

Organizado em 128 páginas, a obra tem o prefácio do professor Wagner Balera.

O INSS já ajuizou 1.242 ações regressivas na Justiça com expectativa de ressarcimento de R$ 190 milhões aos cofres públicos, de acordo com dados da Advocacia Geral da União (AGU). Já foram proferidas 129 sentenças, sendo que 82% favoráveis ao INSS.

Leia mais sobre ações regressivas:
Briga entre INSS e Via Amarela deve ser julgada em breve
INSS move ação de R$ 80 mi contra consórcio Via Amarela
INSS trava queda de braço com empresas em ações regressivas

Autor: Tags: , ,

domingo, 20 de fevereiro de 2011 Direito previdenciário, Previdência | 00:38

IBDP realiza simpósio sobre Direito Previdenciário em SP

Compartilhe: Twitter

O Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP) vai realizar o XV Simpósio Brasileiro de Direito Previdenciário na cidade de São Paulo. O evento será realizado nos dias 18 e 19 de março de 2011, no campus da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID).

Durante os dois dias de evento, serão realizadas diversas palestras com nomes renomados na área do Direito Previdenciário, como os professores Wagner Balera José Antonio Savaris e Wladimir Novaes Martinez, bem como o conselheiro Jefferson Kravchychyn, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“O objetivo do simpósio é debater com a comunidade jurídica temas atuais e controvertidos que envolvem o Direito Previdenciário”, explica Jane Berwanger, presidente do IBDP. O simpósio é destinado a advogados, juízes, procuradores, defensores públicos, professores, acadêmicos, entre outros.

A palestra de abertura será proferida pelo presidente do Conselho Federal da OAB, Ophir Cavalcante, que abordará o tema “Defesa das prerrogativas do advogado no Direito Previdenciário”.

As demais palestras abordarão termas como: desaposentação, decisões da Turma Nacional de Uniformização (TNU), o papel da Justiça do Trabalho na efetivação do Direito Previdenciário, a previdência dos servidores públicos, entre outros.

Informações pelo email eventos@ibdp.org.br ou pelo telefone (41) 3082-7320.

Leia também:
Justiça concede direito à revisão para aposentados de 1998 a 2003
Instituto quer isenção de custas em ações previdenciárias

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 25 de setembro de 2010 Advocacia, Direito previdenciário | 06:30

IBDP realiza VI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário no RS

Compartilhe: Twitter

O Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP) realiza entre os dias 7 e 9 de outubro, na cidade de Porto Alegre (RS), o VI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário e o II Congresso de Direito Previdenciário no Mercosul.

Tradicional evento no calendário jurídico, o VI Congresso Brasileiro de Direito Previdenciário reunirá o ministro Teori Zavascki, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e o advogado Jefferson Kravchychyn, membro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“O objetivo dos eventos é debater temas atuais e controvertidos sobre Direito Previdenciário, contando com a participação de palestrantes de notório conhecimento da matéria”, explica Melissa Folmann, presidente do IBDP.

Durante os três dias de evento serão realizadas 16 palestras e 22 oficinas de discussão. O evento – que está em sua sexta edição – é destinado a advogados, magistrados, procuradores, defensores públicos, auditores fiscais, servidores e estudantes de Direito.

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última