Publicidade

Arquivo da Categoria Contratos

sexta-feira, 12 de novembro de 2010 Contratos | 20:10

Ciclo de vida de contratos é tema de Workshop no Rio

Compartilhe: Twitter

O Rio de Janeiro vai sediar no próximo dia 25 o Workshop Gestão de Ciclo de Vida de Contratos. O evento será na Bolsa de Valores, das 9h às 12h30, e será promovido pela e-Xyon, empresa brasileira de gestão de risco jurídico.

O encontro vai por em pauta, a partir da discussão conceitual do tema e da apresentação de casos práticos, a importância de se incorporar a gestão de ciclo de vida de contratos ao cotidiano das empresas. O workshop vai mostrar que a adoção de práticas modernas aumenta a eficiência e a produtividade na gestão de contratos.

A maior parte das empresas no Brasil – algo em torno de 75% – não usa qualquer ferramenta de gestão de contratos (desde a concepção do documento até a renovação ou conclusão da relação contratual, passando pela administração cotidiana). Essa informação faz parte de um levantamento feito pela ANGC (Associação Nacional de Gestores de Contratações).

Os palestrantes do evento serão: Mariana Blanes, gerente de Contratos da Martinelli Advocacia Empresarial; Renato Maia, gerente Jurídico da Votorantim Siderurgia; e Victor Rizzo, sócio-diretor da e-Xyon. Haverá também uma mesa-redonda para perguntas e respostas, coordenada por Andre Souza Machado, do IBDN (Instituto Brasileiro de Direito em Negócios).

Autor: Tags: ,

terça-feira, 9 de novembro de 2010 Advocacia, Contratos, Direito imobiliário | 15:43

Workshop no Rio traz tema sobre contratos com shoppings

Compartilhe: Twitter

O professor de Direito Empresarial e Imobiliário, Mário Cerveira Filho, será um dos palestrantes do I Workshop de Contratos Imobiliários da PUC-RIO, no próximo dia 16 de novembro. O advogado, que também é sócio do escritório Cerveira, Dornellas e Advogados Associados, vai apresentar o tema “Contratos de Shopping Centers”.

Além disso, o workshop debaterá os aspectos jurídicos do mercado imobiliário, as incorporações imobiliárias, alienação fiduciária e arbitragem e conciliação em contratos imobiliários.

Autor: Tags:

Contratos, Copa 2014 | 15:07

De olho na Copa de 2014, Eike Batista firma acordo com IMG

Compartilhe: Twitter

Grupo de Eike Batista se une a gigante do entretenimento mundial, a IMG (Foto: AE)

Uma nova empreitada de Eike Batista uniu a empresa dele, o Grupo EBX, com a gigante do entretenimento e do esporte mundial, a IMG Worldwide. O acordo, anunciado nesta terça-feira (9/11), aconteceu por meio da chamada joint venture 50/50.

A união dos dois bilionários –Ted Forstmann, da IMG, com o brasileiro fundador da EBX– foi motivada pelos eventos esportivos que o Brasil sediará nos próximos anos: a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada em 2016.

A joint venture receberá o nome de IMGX (a letra X simboliza a multiplicação de riqueza e compõe o nome das empresas de Eike Batista). O acordo, no entanto, não foi oficialmente assinado, mas a EBX já está divulgando a parceria.

“Juntos, podemos aproveitar as importantes oportunidades que o Brasil terá nas áreas de esporte e entretenimento, especialmente considerando a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016”, disse Batista, sem dar muitos detalhes da joint venture.

Só para entender melhor, joint venture é uma forma de aliança entre duas ou mais entidades juridicamente independentes com o objetivo de partilharem o risco de negócio, os investimentos, as responsabilidades e os lucros em determinado projeto.

Leia mais:
Projeto ambientalmente correto corre na frente na Copa
Advogados apontam cuidados para investir na Copa e Olimpíada

Leia também:
Eike Batista, o brasileiro que quer ser o mais rico do mundo

Autor: Tags: , , ,

sábado, 2 de outubro de 2010 Contratos | 05:00

Harley Davidson e Grupo Izzo criam mistério sobre acordo

Compartilhe: Twitter

Harley Davidson e Grupo Izzo tentam acordo fora dos tribunais (Foto: Getty Images)

A guerra travada entre a fabricante de motos americana Harley Davidson e a sua única rede de concessionárias no Brasil, a HDSP Comércio de Veículos, pertencente ao Grupo Izzo, de São Paulo, ainda não acabou.

As empresas, que tentam acordo fora dos tribunais, estão prestes a bater o martelo, mas fazem mistério. Pudera, a queda-de-braço gira em torno de R$ 3 milhões e um acordo seria a melhor saída para evitar um desgaste da marca.

Leis e Negócios buscou as partes. A Harley Davidson, por meio de sua assessoria, disse que a questão continua sendo discutida e que “não tem novidades, por enquanto”. Já os advogados do Grupo Izzo, do escritório Lacaz Martins Halembeck Pereira Neto Gurevich & Schoueri, confirmaram a possibilidade de acordo, antecipada pela coluna na semana passada, mas disseram que nada foi fechado ainda.

Da discussão
A briga entre as duas começou no final do ano passado porque a fabricante alegou ter havido violação do acordo de exclusividade entre as partes, a associação da marca Harley Davidson à de concorrentes, e também de um suposto mau atendimento a clientes. Além disso, a multinacional pretende agir diretamente no Brasil, sem representantes.

Leia mais:
Harley Davidson pode chegar a acordo em briga de R$ 3 mi

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 20 de setembro de 2010 Contratos, Judiciário | 15:52

Harley Davidson pode chegar a acordo em briga de R$ 3 mi

Compartilhe: Twitter

Briga entre fabricante e concessionária começou em 2009 (Foto: Getty Images)

Pode chegar ao fim nesta semana a disputa entre a fabricante de motos americana Harley Davidson e a sua única rede de concessionárias no Brasil, a HDSP Comércio de Veículos, pertencente ao Grupo Izzo, de São Paulo. A queda-de-braço gira em torno de R$ 3 milhões. As empresas devem chegar a um acordo fora dos tribunais.

A possibilidade foi aberta com a suspensão da sentença proferida em junho deste ano em favor da Harley Davidson. Agora, as ex-parcerias –que atuaram juntas por mais de 19 anos — devem buscar uma negociação até a próxima sexta-feira (24/9).

“O Grupo Izzo ajuizou uma ação no tribunal para suspender a eficácia da sentença até que o recurso de apelação deles seja decidido. Com isso, é possível um acordo ainda nesta semana”, afirmou Celso Xavier advogado do escritório Demarest & Almeida e porta-voz da Harley Davidson.

A fabricante havia conseguido na Justiça a suspensão dos contratos entre as partes, mas o Grupo Izzo recorreu da decisão.

A briga entre as duas começou no final do ano passado porque a fabricante alegou ter havido violação do acordo de exclusividade entre as partes, a associação da marca Harley Davidson à de concorrentes, além de um suposto mau atendimento a clientes. Além disso, a multinacional pretende agir diretamente no Brasil, sem representantes.

Em nota publicada no site da empresa, o Grupo Izzo, cujo contrato com a Harley Davidson se encerraria em 2015, disse que estava em busca de acordo, diferentemente da fabricante de motos.

“A gestão global da marca optou unilateralmente por uma ação judicial que funcionasse como um atalho para a rescisão do contrato”, afirmou o Grupo Izzo.

Leia também:
Mansur tenta recuperar Mesbla em Brasília
Ex-goleiro das seleções de 58 e 62 ganha ação contra a Nike
Infraero defende MP 489 para acelerar licitação na Copa de 2014
Acordo com a Fifa proíbe Bavaria de ir às Copas até 2022
Em viagens internacionais, deixar de declarar mais de US$ 10 mil é crime
Crime de insider trading dobrou em 2010
Juízes dos EUA defendem transparência em recuperação de empresas

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última