Publicidade

quarta-feira, 26 de julho de 2017 Advocacia | 16:10

Conheça os dez melhores livros para trabalhar em arbitragem

Compartilhe: Twitter

A arbitragem é um método alternativo de resolução de conflitos e que tem, com sucesso, acelerado as decisões sque poderiam chegar aos tribunais e que demorariam anos para chegarem a um consenso. Com base no crescimento –e fortalecimento– desse setor, Carlos Forbes, presidente do Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CAM-CCBC), elencou abaixo 10 sugestões de livros que ele considera essencial para quem deseja trabalhar na área de arbitragem. São eles:

Odisseia de Homero. Meu gosto pela leitura inicia-se com este clássico dos clássicos. Anos mais tarde, relendo, verifico que o meu gosto pelo direito encontra guarida em uma série de reviravoltas daquele que busca retomar seu trono ao final de uma longa aventura. Homero 

Duna de Frank Herbert. Adoro vários clássicos de ficção científica. Porém, Duna é para mim o suprassumo da capacidade humana de desenvolver um mundo próprio, com princípio, meio e fim, ou, às vezes, sem fim (ver os cinco outros livros da série). 

O Processo de Franz Kafka. Voltas e reviravoltas sobre a impossibilidade de saber a acusação/defesa. Tão marcante e complexo que pode e deve ser lido várias e várias vezes. 

O Falcão Maltês de Dashiel Hammet. Clássico do policial noir, onde a confusão de dados e ideias inicialmente colocadas revelam a capacidade do autor, um de meus preferidos, de colocar ordem e explicação em tudo. São os vários detalhes durante a narrativa que permitem chegar ao final, tendo uma leitura prazerosa e conclusiva. 

O Príncipe de Maquiavel. Muito mais do que só “os fins justificam os meios” é um tratado de política, que demonstra a necessidade de conhecer o passado para entender o presente e planejar o futuro. 

A Luta Pelo Direito de Rudolf von Ihering. O livro revela a necessidade da busca do entendimento filosófico da existência e da finalidade do direito. Penso que deve ser o primeiro livro entregue aos estudantes de direito. Penso que foi o primeiro livro que li na Faculdade de Direito da UERJ. 

Primeiras Linhas de Direito Processual Civil de Moacyr Amaral Santos. É o básico que precisa ser lido para compreensão do direito processual. Mesmo referindo-se ao antigo Código de Processo Civil sua leitura continua obrigatória para perfeito entendimento dos princípios e regras que regulam o processo e o procedimento. 

Hermenêutica e Aplicação do Direito de Carlos Maximiliano. Talvez o maior livro para o entendimento do direito e da sua aplicação. O princípio basilar da regra de interpretação, qual seja que “a aplicação do Direito consiste no enquadrar um caso concreto em a norma jurídica adequada”, está nesse clássico de 1925, que continua tão atual como se fosse escrito para esse nosso tempo. 

Arbitragem e Processo de Carlos Alberto Carmona. Um dos autores da Lei de Arbitragem Brasileira, os outros são Selma Lemes e Pedro Batista Martins, apresenta, neste livro de leitura obrigatória, uma síntese de tudo aquilo que se precisa entender e compreender a respeito de arbitragem. Não há como se aprofundar no tema sem contar com o ensinamento detalhado e objetivo deste livro.  

International Commercial Arbitration de Gary Born. O livro de Gary Born, lido por todos aqueles que pretendem aprofundar seu conhecimento na matéria, é aclamado como o texto padrão para compreensão da arbitragem e sua contextualização no mundo.”

Autor: Tags: