Publicidade

quinta-feira, 20 de novembro de 2014 Advocacia | 14:37

TST e advogados lamentam morte de Márcio Thomaz Bastos

Compartilhe: Twitter

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) divulgou nesta quinta-feira (20/11) uma nota em que lamenta a morte do advogado Márcio Thomaz Bastos, na capital paulista. “Foi um advogado de larga experiência, ministro da Justiça, pessoa de cultura inexcedível, que honrou a advocacia”, disse o presidente da Corte, ministro Barros Levenhagen, que continuou: “É uma perda muito grande para todo o Direito, não só para a advocacia, pelo muito que prestou para a causa da Justiça, com uma advocacia ética, técnica e, sobretudo, humana”.

O presidente do TST lembrou que Thomaz Bastos é natural de Cruzeiro (SP), no Vale do Paraíba, onde Levenhagen foi o juiz instalador da Junta de Conciliação e Julgamento da cidade. “Isso de alguma forma nos une”. Os demais ministros e os representantes do Ministério Público do Trabalho e da advocacia se associaram à manifestação, que será encaminhada à família do ex-ministro da Justiça.

Advogados também se manifestaram acerca do ocorrido com e-mails enviados à imprensa. “Além da advocacia, Marcio Thomaz Bastos foi nosso palestrante e co-autor da obra Grandes Advogados. Exemplo para a advocacia, criou novos parâmetros para a atuação na Justiça Criminal. Como ministro, pode-se afirmar que estabeleceu dinamica relevante para enfrentar os desafios que a função impõe. Meus sentimentos à família”, disse Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber e do Moreau Advogados.

“O movimento do Pensamento Nacional das Bases Empresariais (PNBE) lamenta a perda do advogado Marcio Thomaz Bastos. A sua atuação profissional e em defesa das instituições constitui capítulo relevante da formação do Estado Democrático do Direito em nosso país. Sentimentos à família e à advocacia nacional”, disse Mário Ernesto Humberg, primeiro coordenador do PNBE.

“A Justiça está de luto. Perdemos um verdadeiro defensor da sociedade, aquele que tinha a coragem de defender o ‘um’, contra ‘todos’. Que seu legado seja motivo de ânimo para a advocacia e para a Justiça como um todo”, afirmou Benedito Cerezzo Pereira Filho, sócio do escritório Eduardo Antônio Lucho Ferrão Advogados Associados.

Cesar Asfor Rocha, ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça e Marcio Thomaz Bastos tornaram-se amigos há 35 anos, antes mesmo de Asfor entrar na magistratura, quando ambos militavam na OAB. “Homem honrado. Paradigma da melhor advocacia. Defensor intransigente das prerrogativas da democracia. Elevado espírito público . Sua palavra sensata fará muita falta nestes tempos de negação. Mas seu exemplo fica”.

Para o criminalista Guilherme San Juan Araujo, sócio do San Juan Araujo Advogados, “a advocacia acordou triste, perde um de seus maiores ícones, o genial Marcio Thomaz Bastos, que deixou um legado que será fonte de inspiração por muitos e muitos anos para todos aqueles que se dedicam à advocacia criminal, pautada na ética e dedicação absoluta na defesa de seus constituintes”.

Hamilton Dias de Souza, tributarista, sócio do Dias de Souza Advogados Associados: “Conheço Márcio há muito tempo. Sempre foi extremamente gentil e elegante no trato com os colegas. Não mudou essa postura quando ministro da Justiça. Como advogado, convém esclarecer que o fato de defender políticos que cometeram ilícitos não o confunde com eles. Afinal,todos têm direito à ampla defesa e o sistema de liberdades públicas não funcionaria sem profissionais como o Márcio. O país e a classe dos advogados perdem com sua ausência.”

Para o criminalista Marcelo Leal, sócio do Eduardo Antônio Lucho Ferrão Advogados Associados, “é uma grande perda para a advocacia brasileira, ele deixa um legado de luta pela democracia e pela liberdade em nosso País”.

Para a advogada Mary Elbe Queiroz, sócia do Queiroz Advogados Associados e presidente do Instituto Pernambucano de Estudos Tributários de Pernambuco (IPET) “é uma grande perda, não só para o mundo jurídico mas para o povo brasileiro por se tratar de um exemplo de força de caráter, humanidade e cidadania”.

Sylvia Urquiza, sócia do escritório criminalista Urquiza, Pimentel e Fonti Associados: “Foi uma enorme perda para o país. Marcio Thomáz Bastos foi um grande nome da advocacia. Ele pautou toda a sua vida profissional pela incansável luta pelas garantias constitucionais e pelo direito de defesa”.

Atualizado às 12h50 do dia 21 de novembro de 2014
Leia também:

Morre em São Paulo o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos
Chamado de “God” no meio jurídico, Thomaz Bastos era tietado pelos colegas

Autor: Tags: