Publicidade

quinta-feira, 3 de julho de 2014 Danos Morais | 19:05

Justiça libera Playboy com suposta ex de Neymar

Compartilhe: Twitter

O Tribunal de Justiça de São Paulo cassou nesta quinta-feira (3/7) a liminar que mandava recolher todos os exemplares da edição de junho da revista Playboy, que traz a modelo Patrícia Jordane. Ela relata ter tido um breve relacionamento com o jogador Neymar Jr. e, por isso, a capa traz a chamada “A morena que encantou Neymar”. Com isso, as revistas permanecem nas bancas. A decisão derrubada é da 3ª Vara Civel do Fórum Central de São Paulo. O desembargador que assina a cassação da liminar, relator da matéria, é Rui Cascaldi.

A editora foi notificada na última terça (1/7) e recorreu no mesmo dia. Segundo o advogado da Editora Abril Alexandre Fidalgo, do EGSF Advogados, não há proibição do nome do jogador na capa da publicação “porque não se trata da marca Neymar Jr e, sim, de um fato envolvendo a pessoa dele”.

“Tem uma entrevista com a modelo e ela confirma o affair. Se fosse proibido citar o nome dele, as matérias jornalísticas dizendo que a namorada do Neymar, Bruna Marquezine, fez isso ou aquilo seriam vetadas por citar o nome dele. Essa é a mesma situação jurídica que envolve a questão com a revista. É a palavra dele contra a dela sobre o relacionamento, só”, explicou o advogado.

Fidalgo afirmou, ainda, que na discussão na Justiça utilizou o termo “censura” para a situação. “Ele pode dizer que é mentira, mas não pode apreender nada. Isso é censura”, completou.

Da decisão, cabe recurso. No entanto, a queda-de-braço pode sair dos holofotes logo já que a revista lança uma nova revista na próxima semana.

Leia também:
Neymar obriga Playboy a retirar última capa de circulação
Neymar já gastou R$ 170 mil com ingressos para o Mundial

Autor: Tags: