Publicidade

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 Leis | 14:18

Criminologia feminista é tema de livro

Compartilhe: Twitter

Não é difícil constatar que a maioria – para não dizer a totalidade – dos trabalhos realizados no Brasil sobre a condição feminina, seja como autora de crimes, seja como vítima, encontram-se referenciados em paradigmas criminológicos que se distanciam muito (ou totalmente) do que produziu a epistemologia feminista.

A criminologia nasceu como um discurso “de homens”, “para homens” e “sobre as mulheres”. Ao longo do tempo, para alguns não se fazia necessário “estudar” as mulheres, enquanto outros defendiam que não seria “politicamente relevante” considerar as experiências destas diante do poder punitivo.

Criminologia Feminista – Novos paradigmas, lançamento da Editora Saraiva, é resultado de uma profunda investigação científica que aponta para a construção (ou reconhecimento) de um referencial autônomo que permita compreender os diferentes contextos de vitimização e de criminalização das mulheres. Por meio de uma vasta análise bibliográfica nos campos da História, da Sociologia, da Filosofia, do Direito e da Teoria Feminista, Soraia da Rosa Mendes buscou elementos que possibilitassem a realização de um trabalho “artesanal” de elaboração de elementos para uma criminologia feminista.

O livro traz a evolução da ciência criminológica e de seus paradigmas, além de situar o papel de extrema submissão da mulher, em todos os níveis, no decorrer da História (desde o século XVIII), revelando como esse processo foi definitivo para construir a visão preconceituosa que se tem, hoje, da imagem feminina.

Autor: Tags: